EVS | Furacão on-arrival training

08:06 Lidia Correia 0 Comments


O calidioscópio tem andado parado, em contrapartida, o tempo tem passado a mil e duzentos km à hora por terras polacas.
Tudo começou com a ida para on-arrival training,em Varsóvia, que consistiu num semana (intensiva) de treino, com outros voluntários que estão espalhados por toda a Polónia.
Isto de ser voluntário é muito giro, mas como tudo na vida, tem um lado sombrio e menos bom, que se não soubermos contornar, pode tornar uma experiência tão especial num fardo a sustentar.
A adaptação a um país novo, a um novo ambiente de trabalho, a novas pessoas que terás que lidar no dia-a-dia, ou o clima, ou a simples falta da comidinha da mãe são pequenos factores que cá são sentidos de forma ampliada, levando até as pessoas menos sensíveis (cof cof) a sentir o cheirinho de desmotivação no ar.



Por incrível qeu pareça, não havia programa no primeiro dia que chegámos. Ele foi feito posteriormente, tendo em conta as sugestões de todos, as necessidades, os interesses e espectativas. 


Uma das funções do on-arrival training é exactamente evitar que isto aconteça, dando-nos ferramentas para o combater e para inspirar novas formas de trabalhar e como ser melhores voluntários, tendo em conta as nossas necessidades e aspirações pessoais, as necessidades da nossas organização e da comunidade onde estamos inseridos.
Ás vezes as coisas estão tão turvas na nossa cabeça que precisamos de nos sentarmos e escrever, desenhar, representar de alguma forma onde estamos, porque estamos e para onde queremos ir. Parece simples, depois torna-se complicado conseguir expressá-lo de forma objetiva, depois torna-se simples de novo, como se fosse algo que sempre esteve debaixo do nosso nariz e não conseguimos ver durante tanto tempo, e ajuda-nos sentir-nos menos perdidos.



Foto de grupo - espectáculo e noite de danças polacas.


Foi uma semana em cheio, de ideias novas, de pessoas inspiradoras, de recordações para uma vida e de amigos, que apesar de nem sempre estarem perto, estão bem pertinho do coração, num sítio reservado com muita ternura.
É impressionante como pessoas com backgrounds, personalidades e nacionalidades tão diferentes, com ideias de futuro (às vezes) tão difusas, se podem juntar com um objetivo em comum : dar e receber, aprender e absorver o máximo que os outros nos têm para ensinar, inpirar os outros mas acima de tudo inpirar-nos a nós próprios.


Faz um mês que se deu a primeira semana do resto da minha experiência EVS, e não é coincidência que este mês tenha passado a correr.
Estou cheia de novidades, datas de partidas e chegadas no calendário, sensações indescritíveis que quero partilhar convosco. Embora o bichinho inspiração ande a jogar às escondidas e o factor tempo ande a galopar que nem um tresloucado, vão ficar a saber de tudo, tim-tim por tim-tim, porque quando sentimos que nos dão tanto, é simplesmente a nossa obrigação partilhá-lo.

Dar e receber, receber e partilhar.

(As fotos não são obra minha, e as que tenho, estão registadas com o telemovel, e diga-se de passagem, com péssima qualidade. Esta semana a câmara fotográfica tirou umas pseudo-férias não agendadas. Aqui a miúda estava demasiado ocupada em participar em todas as actividades que se foi esquecendo de pegar nela. SHAME!!!)



0 comentários: